Professora Doutora Ana Paula Martins

Em 1990, iniciou o seu percurso académico, na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL), obtendo a sua licenciatura em Ciências Farmacêuticas. Cinco anos depois, em 1995, tornou-se Mestre em Epidemiologia, pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (FCM-UNL). No ano de 2005, terminou o seu percurso académico, como Doutora em Farmácia Clínica.

 

Foi Secretária-Geral da Ordem dos Farmacêuticos entre 1990 e 1992. Seguidamente, entre 1993 e 1994, foi assessora do Ministro da Educação, e do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares (Programa de Combate às Toxicodependências e de Promoção da Saúde em Meio Escolar). Para além disso, foi Diretora de External Affairs e Market Access (MSD Portugal) e Diretora do Centro de Estudos de Farmacoepidemiologia (ANF).

 

Atualmente, entre outras funções, coordena a Unidade de Farmacovigilância de Setúbal e Santarém, é membro das Academias de Farmácia Portuguesa e Francesa e integra ainda os Júris dos Prémios Saúde Sustentável, Gilead Génese e João Cordeiro. 

É Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, desde 2016. Além disso, o seu trabalho como Professora Auxiliar na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, conta já com mais de 20 anos.

Dr. Paulo Cleto Duarte

O seu percurso académico iniciou-se com a licenciatura em Ciências Farmacêuticas, pela Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, em 1997. Durante este período, assumiu várias funções enquanto dirigente associativo. 


Posteriormente, adquiriu o seu MBA (Master Business Administration) em Gestão de Informação pela Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa.


Iniciou a sua carreira profissional na Indústria Farmacêutica, com a empresa Johnson & Johnson. Para além disso, foi secretário-técnico da Comissão Nacional de Luta contra a SIDA, onde experienciou uma colaboração direta com a Professora Doutora Maria Odette Santos Ferreira.  


De 1999 a 2002, foi secretário-geral da Ordem dos Farmacêuticos e, no período de 2002 a 2013, foi eleito secretário-geral da Associação Nacional das Farmácias (ANF).

Atualmente é Presidente da Direção da Associação Nacional das Farmácias, desde 2013, e Membro do Conselho Nacional de Saúde que é o órgão de consulta do governo na definição de políticas de saúde, tendo sido eleito para este último cargo em Maio de 2017. É ainda co-proprietário de duas farmácias na área de Lisboa.

Drª. Tamara Milagre

É fundadora e presidente da Associação EVITA, que apoia famílias afetadas por Síndromes de Cancro Hereditário, desde 2001.

 

A partir de 2017, tornou-se representante dos portadores de uma mutação, na Rede Europeia de Referência GENTURIS. Nesta, trabalha num grupo temático sobre cancro da mama, ovário hereditário e no grupo de trabalho de educação, formação e desenvolvimento.

 

Colabora com a agência portuguesa de medicamentos, INFARMED, e está envolvida no European Multi-Stakeholder Sounding Board da EFPIA Oncology Platform. Está presente na Sociedade Portuguesa de Oncologia, integrando um grupo de trabalho dedicado ao cancro hereditário.

 

Para além disso, é membro de vários conselhos consultivos nomeadamente, do Centro Alemão da Investigação do Cancro. No que diz respeito ao projeto DataBox, integra grupos de trabalho internacionais sobre cancro da mama metastático e cancro hereditário, sendo uma frequente oradora convidada para conferências a nível nacional ou internacional.

 

Em 2008, descobriu ser portadora da mutação genética BRCA1. Desde então, envolve-se neste assunto e envolve-se nas decisões tomadas por Portugal e Espanha. Para além disso, contribuiu para a investigação desta mutação, pela fundadora portuguesa BRCA2-P, em parceria com a Associação Portuguesa de Investigação do Cancro (ASPIC). 

 

Em 2017, realizou a Master Class da Escola Europeia de Oncologia (ESO) e realizou um curso de  European Patients’ Academy on Therapeutic Innovation (EUPATI), onde aprendeu a importância e o impacto do envolvimento dos representantes e dos doentes na investigação e no desenvolvimento de medicamentos. Dois anos depois, no ano de 2019, concluiu a Leadership School da European Organisation for Rare Diseases (EURORDIS) para os European Patient Advocacy Groups (ePAGs) das Redes Europeias de Referência.