FARMÁCIA HOSPITALAR

Testemunhos

O meu nome é Francisco Sá e sou Farmacêutico Hospitalar. Desde que acabei o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, na FFULisboa, que trabalho no Hospital CUF Infante Santo. Ao longo destes anos passei por várias áreas da farmácia hospitalar.

 

Neste momento, sou o Farmacêutico Clínico responsável por um serviço de internamento de cardiologia e medicina, pelos pedidos de AUE (Autorização de Utilização Excecional) e pelos ensaios clínicos, cumulativamente com as atividades de apoio clínico a outros pequenos serviços de âmbito ambulatório bem como ao serviço de Oncologia. Neste último, trabalhamos lado a lado com médicos e enfermeiros no tratamento do doente oncológico. Participamos no processo desde o diagnóstico, validando protocolos terapêuticos, acompanhando a administração dos tratamentos e esclarecendo os doentes sobre a sua medicação, fazendo a dispensa para ambulatório e o seguimento de farmacovigilância.

 

Durante alguns anos uma área de difícil acesso aos recém-farmacêuticos, a Farmácia Hospitalar começa nos nossos dias a renovar-se e, com isso, surge a oportunidade de desenvolver projetos clínicos muito interessantes num ambiente que se quer multidisciplinar, envolvendo os vários profissionais de saúde que trabalham num hospital, de forma a garantir a prestação dos melhores cuidados ao doente.

 

Dinamismo; interesse e vontade de manter uma formação contínua que acompanhe a evolução científica e permita aplicar os conhecimentos adquiridos em prol do doente; capacidade de trabalho em equipa e diálogo interdisciplinar, são, entre outras, características-chave de um Farmacêutico Hospitalar. Estamos, finalmente, numa era em que acredito que assistiremos a uma mudança de paradigma em relação ao Farmacêutico Hospitalar.

 

O Farmacêutico de ser o responsável pela correta aquisição, gestão e dispensa logística dos medicamentos, a que muitas vezes nos limitávamos, e passará a ser verdadeiramente o Especialista do Medicamento, em todo o seu circuito, que traz aportes valiosíssimos à atividade clínica de um Hospital.

 

Saindo de portas dos Serviços Farmacêuticos e trabalhando diariamente, lado a lado com os restantes profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e auxiliares de Ação médica), o Farmacêutico consegue e conseguirá provar a sua mais-valia no dia-a-dia de um Hospital e na garantia da segurança dos doentes, através de uma utilização segura e eficaz dos medicamentos. Claro que existem e continuarão a existir tarefas do circuito logístico que nos competem e são indispensáveis para a atividade clínica mas acredito que, na senda do que já vemos em países mais maduros nesta área, tal como os Estados Unidos da América e o Reino Unido, o farmacêutico tem todo o espaço para num hospital, em ambiente multidisciplinar, caso assim queira, desempenhar um papel-chave na prestação de cuidados de saúde aos doentes.

 

Este é um caminho que estamos a construir e que precisa muito da experiência dos que nos precederam e do entusiasmo dos que, como eu, agora começam, mas tenho a esperança que conseguiremos, em breve e com a ajuda de todos, contribuir para garantir o melhor para os nossos doentes e dignificar a nossa profissão.


 

 

Dr. Francisco Sá
Farmacêutico Hospitalar - CUF