International Pharmaceutical Federation

Fundada em 1912 e com sede na Holanda, a International Pharmaceutical Federation (FIP) é uma Organização Não-Governamental que representa cerca de 4 milhões de Farmacêuticos e Cientistas Farmacêuticos por todo o mundo. Através de parcerias e Networking entre Farmácia e Ciências Farmacêuticas, apoia o desenvolvimento da profissão farmacêutica, através da prática e inovação científica emergente, de modo a satisfazer as necessidades e expectativas dos cuidados de saúde a nível mundial.


Tem como Visão: Um mundo onde todos beneficiam do acesso a medicamentos e a cuidados farmacêuticos seguros, eficazes, com qualidade e acessíveis.

Tem como Missão: Melhorar a saúde global, apoiando o avanço da prática farmacêutica, das ciências e da educação.

TESTEMUNHO

O meu nome é Ema Paulino, licenciei-me em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa em 2001 e sou, de coração, farmacêutica comunitária. No contexto desta atividade tenho desempenhado vários cargos associativos, sendo que neste momento, entre outros, sou membro da Direção Nacional da Ordem dos Farmacêuticos, e membro do Comité Executivo da Federação Internacional Farmacêutica (FIP).

No âmbito da FIP, mais concretamente, fui eleita para a posição de Secretária Profissional, sendo que a minha principal função é coordenar as atividades do Board of Pharmaceutical Practice (BPP), que congrega os representantes das várias áreas profissionais farmacêuticas, e representar esta estrutura no Bureau (Direção) e no Council (Assembleia Geral) da FIP. Esta posição na estrutura implica, por exemplo, a coordenação da produção de posições oficiais e documentos sobre vários tópicos, nomeadamente serviços farmacêuticos, e ainda a representação externa em reuniões com a Organização Mundial da Saúde e outras organizações internacionais, além de com os próprios membros da FIP, que são as organizações nacionais como a Ordem dos Farmacêuticos e a Associação Nacional das Farmácias em Portugal.

Para desempenhar esta função, é necessário conhecer e saber estabelecer pontes entre as várias áreas de intervenção farmacêutica, mas sobretudo estar apta para navegar a estrutura algo complexa da Federação. O meu percurso permitiu-me adquirir este conhecimento, sendo que comecei por ser Coordenadora de Projetos do Grupo de Jovens Farmacêuticos, depois Presidente da mesma estrutura, Secretária da Secção de Farmácia Comunitária, e ainda CEO interina da FIP entre Outubro de 2017 e Maio de 2018.

Outras características importantes para exercer este cargo são o gosto pelo trabalho em equipa, aptidão para consensualizar opiniões, capacidade de organização e planeamento de projetos e atividades, e disponibilidade para viajar com frequência.

Os desafios que se colocam no âmbito do exercício desta função prendem-se com a velocidade a que, hoje em dia, se têm de tomar decisões e produzir documentos e relatórios que espelhem o contributo do farmacêutico para a melhoria da saúde das populações. Sabemos que para garantir que a voz do farmacêutico seja ouvida, temos primeiro de estar sentados à mesa de onde originam as deliberações, mas também de estar munidos dos argumentos que demonstram o valor da nossa intervenção.

Por outro lado, num mundo globalizado onde proliferam as formas de interação e as estruturas associativas, a FIP tem de se reinventar constantemente para continuar a ser relevante para os seus membros, o que numa estrutura internacional com a sua dimensão encerra em si mesmo um desafio.

Por último, referir que a FIP tem um staff permanente de apenas 14 pessoas, pelo que o seu nível de atividade se encontra muito dependente do envolvimento de membros individuais nas suas estruturas, através das quais contribuem não só para a produção dos documentos referidos acima, mas também para o próprio congresso anual e atividades realizadas ao longo do ano. É assim de crucial importância que a Federação consiga atrair e reter os melhores talentos internacionais para a sua estrutura, o que só acontece se o envolvimento for percecionado como uma mais-valia do ponto de vista do desenvolvimento profissional e pessoal por parte de quem se envolve.

Sem dúvida que para mim, tem sido a oportunidade de uma vida.